quinta-feira, 18 de fevereiro de 2021

Exportações para o estrangeiro desceram 6,4% no ano passado

As exportações dos Açores para fora do país atingiram, em 2020, um valor de 108 milhões de euros, o que representa um decréscimo de 6,4 % relativamente ao ano anterior, consequência, em particular, da diminuição do comércio de produtos provenientes da indústria transformadora.

Em sentido contrário, as importações atingiram 147 milhões de euros, o que representa um aumento de 3,4 %. 

A diferença é significativa, todavia bastante menor da que se verificou, por exemplo, em 2018, ano em que a Região importou quase o dobro do que exportou.

Os maiores volumes de exportações dos Açores referem-se a peixe fresco, conservas, bebidas e tabaco.

Nas importações os valores mais significativos são produtos agrícolas e industriais, mas a Região também adquire noutros países produtos alimentares, bebidas e tabaco.

 

 A nível nacional diminuíram exportações e importações

 

A nível nacional, no conjunto do ano de 2020, as exportações diminuíram 10,2 % enquanto as importações decresceram 15,2%, o que representa uma forte desaceleração face aos acréscimos verificados em 2019. 

Desde 2009 que as exportações de bens não registavam uma variação homóloga negativa.

O défice da balança comercial atingiu 14 051 milhões de euros em 2020, o que representa uma diminuição de 6 024 milhões de euros face ao ano anterior, refletindo-se num acréscimo da taxa de cobertura de 4,4 p.p.

As exportações e importações de combustíveis e lubrificantes diminuíram 32,1% e 35,6%, respetivamente, face ao ano anterior, correspondendo à categoria económica com maiores decréscimos relativos no total do ano.

No conjunto do país, bens alimentares e bebidas foi a única categoria que apresentou um valor positivo (+ 0,7%) nas exportações, tendo as importações apresentado um valor negativo (-4,3%).

As quebras, tanto nas importações como exportações começaram a diminuir em Fevereiro de 2020, tendo atingido os valores mais baixos em Abril e Maio.

 

Entretanto, o SREA divulgou ontem que no 4.º trimestre de 2020 saíram da Região Autónoma dos Açores 46 501 toneladas de produtos lácteos, um aumento de 6,9% face ao período homólogo de 2019, com um valor total de 73,0 milhões de euros.

Também no 4.º trimestre de 2020 saíram da Região Autónoma dos Açores 3 162 toneladas de carne de bovino, correspondendo a 14 457 carcaças de animais abatidos nos matadouros da região, um aumento de 12,5% em peso e 8,9% em carcaças. 

 

Texto e gráfico de Rafael Cota




 

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

Administração Publica e construção asseguram empregos
Os números agora divulgados pelo SREA e INE, relativamente ao desemprego em 2020, mostram que se mantém a tendência de que a administração pública ainda é o motor para a criação de empregos, apesar de alguns sectores privados, como a construção, disponibilizarem alguns empregos.
Temos assim que, no quarto trimestre de 2020, a taxa de desemprego (5,5%) diminui relativamente ao trimestre anterior (6,7%) finalizando com um valor médio do ano de 6,1%, abaixo da média nacional (6,8%) e da média da Madeira (7,9%).
Continua a sentir-se o efeito das políticas nacionais para o emprego (lay-off e similares) e das políticas ativas para o emprego dos Açores.
Olhando para a decomposição dos efeitos, por atividade, a variação homóloga na indústria, as transformadoras caem 11,6% e a construção sobe 11,6%.
O aumento dos serviços é composto pelo declínio no comércio (-6,1) dos transportes (-1,4) da hotelaria e restauração (-25,4) e aumentos da administração pública (+15,7%), da educação (14,3%), da saúde (+5,7%), crescendo no conjunto 11,6%.
Assim, segundo estes dados, as áreas da administração pública crescem cerca de 4.000 ativos, em particular nas áreas administrativas e da educação.





Pesca