quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Pesca


2007: uma dos melhores safras dos últimos anos
De Janeiro a Setembro de 2007 o total do pescado entrado nos portos dos Açores cresceu 39.6%.
É o atum que está a fazer a diferença, prevendo-se uma das melhores safras dos últimos anos.
O valor total do pescado deverá atingir, até ao final do ano 38 mil euros, o que representará um aumento de 22%.


quarta-feira, 17 de outubro de 2007

Inflação - Comentário


Comentário do Professor Mário Fortuna, no noticiário das 18.00 da RDP-Açores, no dia 16 de Outubro, sobre a inflação nos Açores.

Devemos associar esta situação nos Açores a problemas puramente conjunturais. Normalmente a inflação no arquipélago acompanha a inflação nacional.
O que se tem passado a nível nacional é que tem havido alguma retracção da actividade económica e esta retracção tem mantido relativamente baixa a inflação no país. Nos Açores, por razões que podem ter a ver com as expectativas dos consumidores e agentes económicos, em geral, as expectativas têm-se mantido relativamente mais positivas o que leva a que, já desde 2006, a inflação na Região esteja substancialmente superior à inflação nacional.
É uma tendência que é claramente desvantajosa para os consumidores nos Açores e, eventualmente, para as empresas, se esta diferença de inflação se vier a reflectir em custos acrescidos a produção.

terça-feira, 16 de outubro de 2007

Inflação

Inflação nos Açores mais distante da média do país
A Taxa de Inflação nos Açores mantém-se nos 3,7% enquanto a média nacional voltou a descer, estando agora nos 2,4 %.
A diferença é de 1,3 pontos percentuais, uma situação que não é habitual.
O gráfico abaixo mostra que, de um modo geral, a taxa de inflação nos Açores acompanha a linha nacional.
O histórico deste indicador mostra que houve momentos em que o Índice de Preços no Consumidor nos Açores foi infeiror à média no país.
Os Açores continuam também a registar a taxa mais elevada de todas as regiões do país.



quinta-feira, 11 de outubro de 2007

Turismo


Dormidas crescem 2,9% de Janeiro a Agosto
Terceira matém bons resultados em 2007

De Janeiro a Agosto de 2007, nos estabelecimentos hoteleiros da Região Autónoma dos Açores (hotéis, hotéisapartamentos,
apartamentos turísticos, pousadas, pensões e estalagens) registaram-se 858,8 mil dormidas,
valor superior em 2,9% ao registado em igual período de 2006. A taxa líquida de ocupação-cama neste período foi de 43,2%.
Por ilhas, as que apresentaram maiores acréscimos homólogos acumulados foram as de Santa Maria, da Terceira e de São Miguel, respectivamente com 34,3%, 16,7% e 1,3%, enquanto que as ilhas das Flores e da Graciosa, registaram decréscimos homólogos acumulados, respectivamente de, 23,7% e de 7,7%.
A taxa líquida de ocupação-cama neste período foi de 43,2%. As dormidas dos residentes em Portugal aumentaram 5,2% de Janeiro a Agosto, comparativamente a igual período de 2006, as dormidas dos residentes no estrangeiro registaram um aumento de 1,1% em termos acumulados.


sexta-feira, 5 de outubro de 2007

Desemprego

Comentário de statman


A estatística oficial do desemprego fixou-se em 3.9 neste trimestre vindo de 4.7 no trimestre anterior. É um facto. Foi uma redução de 0.8 pontos percentuais, o que parece significativo. No entanto há que ter em conta que o erro associado à estimativa da taxa de desemprego nos Açores é muito elevado. Neste trimestre, o coeficiente de variação da taxa de desemprego foi de 14.9% e no trimestre passado de 16.1%. Isto significa que a taxa de desemprego real neste trimestre andará entre 2.8 e 5.0 e, no trimestre passado, fixou-se entre 3.2 e 6.2. É portanto plausível que a taxa no trimestre passado tenha sido 3.2 e neste trimestre tenha sido 5.0, ou seja, uma subida de 1.8 pontos percentuais, o que é mais significativo ainda. Situação confusa, não é? Estou a tentar mostrar com isto que a evolução de estimativas com margens de erro grandes podem ser enganadoras. Eu admito que até tenha baixado. Aliás, até é mais provável que sim. Mas não apostava a minha credibilidade nisso.Então, em que ficamos? Há uma solução: Baixar as margens de erro das estimativas nos inquéritos por amostragem. É crucial baixar as margens de erro para que, quando falarmos numa quebra, esta se relacione efectivamente com o fenómeno que estamos a analisar e não com uma flutuação aleatória nos erros decorrentes do processo de amostragem.Outra questão relevante de analisar é a "qualidade" desse desemprego. Por exemplo, se entrarmos em linha de conta com a participação feminina no mercado de trabalho açoriano, então a percepção e interpretação da taxa de desemprego muda radicalmente. Mas isso ficará para próximos comentários.
3 de Outubro de 2007 16:45

Desemprego - Europa




Obras licenciadas